cabecalho do site para ser visualizado computador cabecalho do site para ser visualizado no celular
Pesquisar no site do Alcscens

Sobre o Projeto

Objetivos Específicos


  • #1 - Analisar o modo de circulação da divulgação científica por meio de políticas públicas vigentes
  • Analisar o que há disponível de modo institucionalizado em termos de divulgação científica sobre as mudanças climáticas promovidas no interior de políticas públicas nacionais e internacionais (sobretudo Unesco) será um dos alicerces do Projeto visando a uma leitura crítica da presença do conhecimento já configurado enquanto subsídio para políticas institucionais. Essa leitura permitirá compreender algumas das razões da dificuldade de implementação e inteligibilidade das propostas em dois universos: público acadêmico e público geral. Essa compreensão subsidiará a produção de divulgação científica a ser realizada pelo Projeto e, sobretudo, a configuração de políticas públicas nacionais que visem a divulgação científica como um de seus instrumentos. A Unicamp, através do Cepagri, tem uma experiência importante no Programa de Zoneamento de Riscos Climáticos, que é um programa oficial do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) que norteia, desde 1996, as concessões de crédito e seguro agrícola aos produtores rurais. Este programa tem uma base científica muito bem desenvolvida, consistente e consolidada e surgiu da necessidade real de reduzir as perdas na agricultura nacional provocadas por eventos climáticos, que eram muito elevadas no Brasil até o início da década de 90. Trata-se de um exemplo bem ilustrativo da formulação de política pública com base em critérios técnicos e que é utilizada com sucesso há vários anos seguidos. Esta experiência será de grande utilidade para alcançar os objetivos pretendidos neste item.


  • #2 - Aperfeiçoar os sistemas de previsão de safras da cultura da cana-de-açúcar, tornando-os mais objetivos e precisos
  • A previsão de safras agrícolas tem progredido gradativamente através da utilização de métodos e técnicas provenientes de várias áreas do conhecimento, tais como estatística, modelagem matemática, agrometeorologia, climatologia, geoprocessamento e agronomia, entre outras. Nenhuma área do conhecimento, em particular, tem condições de resolver este grande desafio individualmente. Assim como, nenhum modelo ou técnica de previsão deverá funcionar bem sempre, razão pela qual, do mesmo modo que aconteceu na meteorologia, o desenvolvimento contínuo e a utilização de várias técnicas de previsão deverá ser a forma encontrada para estimar safras agrícolas com a precisão e a antecipação necessárias para o planejamento das produções de cana e etanol. Há vários trabalhos em desenvolvimento atualmente na Unicamp baseados em séries temporais de imagens de satélites, modelagem agrometeorológica e técnicas de mineração de dados com a finalidade principal de aumentar a objetividade, a precisão e a antecipação da previsão de safra da cana-de-açúcar, que já é estratégica para o país e será ainda mais na adaptação do setor às mudanças climáticas. O conhecimento preciso da relação entre o clima e a produção da cana é um dos principais desafios na previsão de safras agrícolas, e de grande importância na adaptação às mudanças climáticas, razão pela qual foi definido este objetivo específico.


  • #3 - Aprofundar os estudos de impactos das mudanças climáticas na agricultura
  • A identificação da vulnerabilidade das culturas agrícolas às mudanças climáticas pode ser considerada o ponto de partida para o estabelecimento de políticas públicas destinadas à adaptação da agricultura nacional nas próximas décadas, pois a partir dela é possível construir cenários de impactos agregando-se outras informações relevantes (tais como ambientais, tecnológicas, demográficas e de segurança alimentar). Por essa razão, é fundamental que ela seja continuamente reavaliada e determinada com a melhor precisão que os modelos e técnicas de previsão permitirem. As avaliações feitas até então têm indicado uma grande vulnerabilidade dos sistemas de produção atuais de culturas importantes para o país e São Paulo, tais como o café e soja, e uma situação favorável para ampliação das áreas com menor risco climático para os plantios de cana-de-açúcar. Apesar da grande importância destes resultados, eles foram baseados em modelos relativamente simplificados de mudanças climáticas e com baixa resolução espacial, nem sempre considerando as especificidades do Brasil. Sendo assim, o Projeto pretende aprofundar as avaliações de impactos já realizadas, utilizando de três a cinco modelos de previsão de mudanças climáticas a serem escolhidos no transcorrer do Projeto, com base em critérios como resolução espacial, tipos de variáveis previstas, representatividade para o Brasil, horizonte de previsão e resolução temporal. Uma alternativa, neste caso, poderá ser o modelo climático a ser desenvolvido no âmbito do Programa de Mudanças Climáticas da Fapesp. Ressalta-se que embora o foco do projeto seja a cultura da cana-de-açúcar, poderão ser avaliados, também, os impactos das mudanças climáticas nas culturas que podem ser afetadas por sua expansão (tais como café, laranja, pastagem, soja e milho) pelos seguintes motivos principais: ocupação de área que pode ser utilizada também pela cana ou perda de competitividade por questões econômicas ou climáticas (maior impacto das mudanças climáticas). Os resultados deste objetivo serão fundamentais para o atendimento do objetivo geral e para vários outros objetivos específicos do Projeto.

  • #4 - Avaliar a relação entre a expansão da cultura da cana-de-açúcar e o impacto sobre as populações urbana e rural
  • A população é parte integrante de vários aspectos e processos enfocados no Projeto, influenciando, por exemplo, o desempenho dos setores produtivos de acordo com a oferta de mão-de-obra; a disponibilidade de terras para expansão em função do tamanho das áreas urbanas e da manutenção da segurança alimentar e nutricional; a definição do tamanho, distribuição, localização e perfil dos mercados consumidores (inclusive a preocupação efetiva deles com as questões ambientais); o nível de conscientização e a disposição para aceitar e influenciar o estabelecimento de políticas públicas na área ambiental. O aumento da mecanização da cultura canavieira e o arrendamento de terras pelas usinas de açúcar e álcool para produção de cana-de-açúcar, por exemplo, são fatores que têm sido favoráveis à redução da população residente no campo e pequenas cidades e ao consequente inchamento das cidades de médio e grande porte, com agravamento dos problemas de infra-estrutura observados atualmente nas zonas urbanas. Logo, é imprescindível analisar a dinâmica demográfica em conjunto com os fatores que se relacionam diretamente com a produção de açúcar e álcool, tais como agrícolas, industriais, políticos, ambientais, tecnológicos e econômicos.


  • #5 - Avaliar o impacto das políticas de inovação para o atendimento das demandas futuras do etanol e na adaptação da agricultura brasileira às mudanças climáticas
  • O dinamismo do sistema setorial de inovação constituído em torno da agroindústria do açúcar e do álcool será decisivo para garantir as metas de expansão da produção de etanol dentro de um contexto de adaptação às mudanças climáticas. Entre os grandes desafios colocados para esse sistema de inovação está a questão do deslocamento da cultura da cana para as regiões Central e Norte do País. A adaptação da agricultura às novas condições climáticas será vital para que o Brasil possa manter sua posição atual de grande produtor e exportador de produtos agrícolas e, no caso específico do etanol, atender as demandas projetadas para o futuro. Políticas deverão ser empreendidas desde logo para garantir os resultados almejados em termos de produtividade. Os custos dessas ações terão que ser cotejados com os benefícios possíveis advindos dessas políticas. Segundo o IPCC, estimativas consistentes de custos e benefícios de medidas adaptativas ainda são pouco conhecidas e são fundamentais neste Projeto. Entre as medidas adaptativas contempladas cita-se:
    i. Adequação das datas de plantio e das variedades vegetais;
    ii. Realocação espacial das culturas;
    iii. Melhora do manejo agrícola; e
    iv. Prevenção da erosão por meio da silvicultura.
    O objetivo principal, nesse caso, é avaliar como a tecnologia e a inovação podem contribuir para a adaptação da agricultura brasileira ao novo contexto climático que se afigura no século atual. Os objetivos associados são os seguintes:
    i. Estimar quais os possíveis custos e benefícios da mudança tecnológica para reduzir os impactos negativos dos cenários do IPCC na produção agrícola brasileira de culturas selecionadas;
    ii. Elaborar políticas de ciência, tecnologia e inovação que sustentarão essas mudanças tecnológicas. O Projeto deve contribuir para o maior conhecimento de como a variável tecnológica pode influir na definição dos impactos produtivos e sócio-econômicos das mudanças climáticas no desempenho da agricultura brasileira. A tecnologia pode piorar ou melhorar o impacto das mudanças climáticas sobre a sociedade e a economia. Esses conhecimentos serão úteis para a construção de cenários para a agricultura

  • #6 - Avaliar o nível de Segurança Alimentar e Nutricional (SAN) associado à expansão da cultura de cana-de-açúcar
  • A disponibilidade de alimentos suficientes para toda a população é a primeira dimensão da segurança alimentar e nutricional (SAN) que pode ter um impacto direto com a expansão do setor sucroalcooleiro, pois o plantio de cana-de-açúcar poderá substituir as áreas plantadas com culturas alimentares por critérios econômicos (demanda e preços elevados do álcool), de infra-estrutura (para aproveitar as condições técnicas e humanas já existentes nas regiões produtoras) ou pela dificuldade de ocorrer em novas fronteiras agrícolas (por restrições ambientais ou de infra-estrutura), podendo comprometer a soberania alimentar nacional. Por outro lado, o aumento de áreas agrícolas produtivas com cana-de-açúcar poderá aumentar a oferta de trabalho e a geração de renda para a população, favorecendo o acesso aos alimentos e a garantia da segurança alimentar e nutricional, desde que eles estejam disponíveis. A redução na disponibilidade de alimentos poderá elevar seus respectivos preços e tornar a sua produção economicamente atraente. A obtenção da segurança alimentar e nutricional (SAN) é, portanto, uma questão de equilíbrio entre, principalmente, fatores demográficos (tamanho, localização e distribuição etária e de gênero da população), nutricionais (necessidades alimentares da população e aproveitamento biológico dos alimentos), econômicos (disponibilidade de renda para acesso digno aos alimentos) e agrícolas (capacidade de produção de alimentos). Este assunto tem sido muito discutido entre governantes, instituições e especialistas de vários países do mundo, não havendo, ainda, um consenso sobre o mesmo. Devido à relevância deste tema, é fundamental obter dados mais significativos que embasem estas discussões e levem a conclusões mais práticas e úteis.


  • #7 - Definição de políticas públicas relacionadas à expansão da produção de álcool combustível no Brasil, devido ao interesse de mitigação das emissões dos gases de efeito estufa (GEE), considerando a necessidade de adaptação da agricultura nacional às mu
  • O apoio à definição de políticas públicas visando adaptar a agricultura nacional às mudanças climáticas e, se possível, mitigar as emissões dos gases de efeito estufa, será um objetivo constante das atividades do Projeto, pois não há ações efetivas neste tema sem um envolvimento direto da população. Na prática, acredita-se, até o momento, que a sociedade atual deverá repensar e modificar vários hábitos e costumes que lhe são muito caros e estão bem instalados e aceitos. E isto não é fácil, principalmente, se for considerado que o efeito destas modificações poderão beneficiar mais as próximas gerações que a atual. A transformação de resultados de pesquisa científica em política pública é sempre um grande desafio e, neste caso, será mais ainda por causa da complexidade do tema, das incertezas que ainda existem sobre ele e do caráter inusitado para a sociedade atual que é planejar o futuro de outras gerações. Por essa razão, será preciso entender devidamente a complexidade envolvida no tema das mudanças climáticas para que seja possível formular políticas públicas a partir dos resultados obtidos no Projeto. Se não houver essa preocupação destacada e considerada desde o início dos trabalhos, poderá haver uma dificuldade muito grande em utilizar os resultados obtidos de forma efetiva.


  • #8 - Desenvolver metodologia para a geração de cenários de impactos de mudanças climáticas a partir da combinação de dados e informações de fontes e características distintas
  • A combinação de dados e informações com características distintas, provenientes de diversas fontes, será um dos grandes desafios para a elaboração de cenários a serem utilizados como base da formulação de políticas públicas destinadas à adaptação do país às mudanças climáticas. A metodologia a ser desenvolvida deverá fundamentar-se na experiência da Unicamp na participação de programas de políticas públicas na área agrícola, utilizando, principalmente, técnicas de geoprocessamento. O desenvolvimento desta metodologia de integração de dados e geração de cenários de impactos será a base para a interação entre as várias áreas do conhecimento envolvidas nos trabalhos, razão pela qual está sob a responsabilidade da coordenação do Projeto. Esta metodologia deverá ser uma construção coletiva e corresponderá a uma das principais contribuições do Projeto.


  • #9 - Estimar a evolução da engenharia genética aplicada, principalmente, à cultura da cana-de-açúcar e o potencial de produção industrial de etanol celulósico
  • A concentração atual da produção brasileira de cana-de-açúcar em duas macrorregiões principais, Sudeste e Nordeste, principalmente no estado de São Paulo, faz com que os sistemas de produção utilizados (variedades, maquinaria e tratos culturais, por exemplo) sejam adequados às condições existentes nelas. A expansão da cana-de-açúcar para outras regiões do Brasil poderá requerer uma adaptação das variedades utilizadas atualmente. Além disso, poderá ser necessário desenvolver novas variedades para as regiões atualmente produtoras, dependendo do impacto das mudanças climáticas sobre o desenvolvimento e a produtividade delas. A viabilidade técnica da adaptação das variedades atuais e do desenvolvimento de novas variedades deverá ser avaliada, pois poderão limitar ou dificultar a expansão e a manutenção do desempenho atual do setor (no caso de impactos negativos das mudanças climáticas). O potencial de geração de etanol celulósico em nível industrial também deverá ser avaliado, pois poderá representar um ganho de produtividade sem aumento de área.


  • #10 - Melhorar e aprofundar a divulgação científica na área de mudanças climáticas
  • Este objetivo está diretamente relacionado a um dos quatro desafios principais existentes na área de mudanças climáticas que é o de melhorar e aprofundar o entendimento do assunto através do desenvolvimento de formas de divulgação, difusão e popularização do conhecimento científico sobre o mesmo. De modo específico, pretende-se gerar materiais audiovisuais para as imprensas geral e especializada, que possam contribuir para melhorar o entendimento do assunto e viabilizar o estabelecimento de contatos com a imprensa nacional e revistas especializadas sobre o assunto. Outro aspecto relevante relacionado a este tema é o de melhoria dos sistemas atuais de informações meteorológicas e climáticas aplicadas à agricultura. A Unicamp, através do Cepagri, tem grande experiência na prestação de serviços nas áreas de meteorologia e climatologia através da Internet. A página do Cepagri/Unicamp (http://www.cpa.unicamp.br) entrou em funcionamento em 16/05/1995, 15 dias antes da criação do Comitê Gestor da Internet no Brasil (em 31/05/1995), que marca o início da sua operação comercial no Brasil. Trata-se de um dos serviços mais antigos nas áreas de meteorologia e climatologia aplicadas à agricultura do hemisfério sul e que serviu de base para a criação do Sistema de Monitoramento Agrometeorológico Agritempo (http://www.agritempo.gov.br), juntamente com a Embrapa em 2003, que presta serviços a todos os estados do país. O grande desafio atual destes serviços está em conhecer melhor qual tem sido a utilização efetiva que os seus vários usuários (principalmente agricultores, gestores públicos e privados e técnicos) têm feito dos produtos colocados automática e gratuitamente à disposição na forma de mapas, gráficos, tabelas e textos de recomendação. Este entendimento da relação entre a geração e a utilização de dados e informações meteorológicas e climáticas é estratégico para extrair o máximo possível do grande potencial que a tecnologia de previsão de tempo e clima tem a oferecer para a agricultura, atualmente e no futuro. Trata-se de um demanda real existente no mundo inteiro, e não apenas no Brasil, de serviços semelhantes ao do Cepagri/Unicamp e Agritempo. Ressalta-se que, além da Internet, o Cepagri/Unicamp tem larga experiência, também, no atendimento ao público através de consultas pessoais, telefone, palestras e mídia em geral (rádio, jornal e televisão).

Logotipo do Programa Fapesp de Mudanças Climáticas Processo N.08/58160-5 | Período: 01/12/2010 a 30/11/2014